terça-feira, 28 de junho de 2016

Rúbida

Study for Teressa with Mirror and Lipstick (Fabián Pérez)

Lasciva, a boca rubra me inquietava
Um pórtico letal ante a procela
Incauto, me lançava adentro dela
Um ímpeto vesano em mim pairava

Tentava em vão cravar outras nuances
Para embuçar a mélea servidão
Escravo dos seus ais em lassidão
Escrevo ao seu meão, não tenho chances

Palavra que me traz palavras outras
As deito, uma a uma, em libação
Meus dedos vão contando outras histórias

O mel escorre entre as suas coxas
Já fiz da pena o membro e o coração
entregue, não tem mais escapatória

Um comentário:

"Respeitar o trabalho do outro consiste justamente em submetê-lo à crítica mais rigorosa" (José Borges Neto)