terça-feira, 14 de junho de 2016

Récita

Ilustração:Milo Manara

Palavra que se disputa
Empunha na boca o meu verso
Lançando no vento, dispersos
Os uivos de nossa labuta

Eu, quedo, tergiverso
Sou mácula em sua voluta
A tenho salaz, dissoluta
Ao que ela me tem perverso

Metia o meu verso, morteiro
Ao que a garra dela escalavra
Pra ver quem mentia primeiro

Gozando, assim como a palavra
Protelo pra ouvir seu griteiro
Mas ela não cessa e deslavra

Nenhum comentário:

Postar um comentário

"Respeitar o trabalho do outro consiste justamente em submetê-lo à crítica mais rigorosa" (José Borges Neto)