quarta-feira, 30 de junho de 2010

À beira MAR...


Amar:
Eis um verbo transitivo
que não obedece concordância alguma...
...à beirA MAR...

46 comentários:

  1. Nada melhor que se Amar à beira mar! melhor ainda quando ele vem de mansinho abençoar nossos corpos estirados na areia!

    Obrigada meu AMOR!

    ResponderExcluir
  2. amar!

    ah,como é doce amar....e como as vezes é amargo tbm....

    é loucura,é medo,é frio na barriga,é querer bem,é fogo aceso,é parecer menos só....

    é amplidão!

    ah,amar!!como é bom....e como Drummond já dizia,

    ''Amar a nossa falta mesma de amor,
    e na secura nossa, amar a água implícita,
    e o beijo tácito, e a sede infinita.''


    lindo^^amei^^

    bj

    ResponderExcluir
  3. E eu concordo plenamenteeeee!!!

    Juliano, acabei de passar em 3 blogs queridos, que quase morri do coração ao ler coisas tão lindas, ai passo aqui no seu e "me muero" de vez rs!

    Eu fecho a noite com chave de ouro!

    Um abraço, meu querido!

    ResponderExcluir
  4. Tava com saudades de vc... Tá tudo bem? Tomara que sim.
    Amar é transgredir... assim como a tua poesia é transgressora...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Amar é tão intenso e extenso como o mar,
    e o verbo sabe disso,


    um beijo,guri
    tava sumido

    ResponderExcluir
  6. De arrancar sorrisos esse miúdo. Lindo!

    =)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Realmente amar não obedece a menor lógica, simplesmente acontece.
    Abração

    ResponderExcluir
  8. Juliano!

    Além de transitivo é direto. E necessário!

    Muito bom!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  9. Amei em mim... Há mares em ti... Ótimo texto. Grande abraço, Jacson Faller.

    ResponderExcluir
  10. AMAR é verbo livre...

    Não obedece a nenhuma regência...

    Mas prefiro conjugá-lo sempre transitivo...

    Porque o meu AMAR exige complemento...

    Abraço!


    Obrigada por seus sorrisos no Luz...

    Amo imenso!!

    ResponderExcluir
  11. E que as águas desse mar sejam claras, aconchegante e que se perca...mas será que é doce morrer no mar?
    Abçs!

    ResponderExcluir
  12. è que o amor é maré cheia
    tentando alagar a beira do mundo.
    Lindo, lindo!

    ResponderExcluir
  13. Amar é tão conhecido e ao mesmo tempo tão desconhecido como o mar... Às vezes tão calmo e em outras tão intenso pela ressaca!

    muito bom, meu caro!

    abraços

    Guilherme

    ResponderExcluir
  14. http://ocullosazuis.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. posso usar seu poema?? ''considerações sobre relacionamentos''?? vou creditar com seu nome e link....é que ele é muito especial pra mim.... posso??queria por no orkut

    ResponderExcluir
  16. Juliano, fiz um novo blog e é importante pra mim que vc passe lá e me diga o que acha dele, da idéia e se concorda com ela. Vá lá que vc vai entender. Mas vá assim que puder... to ansiosa pra saber sua opinião.
    Beijo.

    http://empoucaspalavrasalheias.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. obrigada juliano...usarei no orkut ,mas tbm postei lá no meu blog,vai lá ver =)

    ResponderExcluir
  18. Juliano, tende piedadeeeeeeee do meu pobre coração..que coisa mais lindaaaaaaa o que vc deixou no post amores possiveis, do Saramago.
    Eu to sem arrrrrrrrrrrrrr....

    Vai virar um post, posso????
    Nada sem o seu ok!

    Um abraço grande!

    ResponderExcluir
  19. Valeuuu Ju!!

    Ninguem (Ao meu ver) conseguiu explicar o amor dessa forma como você.

    P-E-R-F-E-I-T-O!!

    ResponderExcluir
  20. O mar a nos levar...Neste amar que é o mar.
    Bjossss

    ResponderExcluir
  21. Um ar de poesia concreta...amor litorâneo...saudades de um amor de reveillon...eis minha sensação subjetiva de seu texto. Adorei!
    abraço,

    Leandro Souza

    ResponderExcluir
  22. Não necessita dela, não quando amar é sem discordancia ou concordancia ou simplesmente é verbo.
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  23. (A)MAR... como tudo é imenso!!!

    Beijosss
    AL

    ResponderExcluir
  24. Então, vamos ás discordancias. E em terra firme!...rs

    Beijos

    Tâmara

    ResponderExcluir
  25. Amar pode ser doce, mais tem vezes que esse amar é amargo..

    Bjs..sz

    ResponderExcluir
  26. Nem responde aos privilégios dos tempos verbais! Nem entende a euforia do porvir.

    Abs meu caro.

    ResponderExcluir
  27. sem concordância, uma harmonia perfeita...
    adorei seus poemas

    ResponderExcluir
  28. E se é amor de fato dispensa concordar.

    Abraço do Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

    ResponderExcluir
  29. obrigada pelas boas vindas,vc escreve mto bem. o amor ñ tem regras,
    basta apenas saber amar,
    sendo correspondido ou ñ,
    o que vale é msm c entregar.
    no meu caso a solidão prevalece,
    mas eu continuo amando,
    amando esse meu eu que mais e mais me desfalece.

    ResponderExcluir
  30. De se comentário em meu blog: NasEntrelínguas, muito bom o Saramago. Obrigado por enriquecer meu espaço, amigo. Agradeço pelo seu convite ao seu blog, ao qual atenderei sempre. Abraço!

    ResponderExcluir
  31. Amar es la forma más sencilla de expresar un sentimiento tan complicado. Bien hermano! Pensamientos llenos de ti!

    ResponderExcluir
  32. Um Trovador com potencial máximo nas letras. Vejo em vc o construtor de uma obra conceitual que fará escola.
    Parabéns.

    Leandro Souza

    ResponderExcluir
  33. Que D E L I C I A ...
    Bjks doce em teu ♥,Andreza.

    ResponderExcluir
  34. Passando para conhecer seu blog e fiquei muito contente!
    ___um beijo
    Luana

    ResponderExcluir
  35. Amo essa singeleza,se é que essa palavra existe,se não existir,não tem problema é para isso que serve a licença poética.

    ResponderExcluir


  36. Vai l:a no: http://po--etica.blogspot.com

    ResponderExcluir
  37. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog Alinhavo de Cores. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs



    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.


    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.


    Abraços

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  38. Nem concordância nem regência. Eis um verbo que não obedece a nada.

    ResponderExcluir
  39. I like this one very much. Beautiful

    ResponderExcluir
  40. Oi Juliano!
    Voltei...e resolvi contemplar a paisagem, descalçA... na areia do seu MAR.

    bjos
    da
    LizA

    ResponderExcluir

"Respeitar o trabalho do outro consiste justamente em submetê-lo à crítica mais rigorosa" (José Borges Neto)