sexta-feira, 18 de junho de 2010

Hoje não tem poesia.

Estou escrevendo aqui sem rascunho. Tive tempo hoje, então estava eu a preparar nova postagem d'alguma poesia tosca, ou algo que pretenda ser, quando fui informado: se foi Saramago.
Nunca abri aqui espaço para aspas, nem mesmo as roubadas, mas o faço hoje, como singela homenagem e respeito imenso e outra coisa inexprimível que estou sentindo (me sinto tolo ou egoísta de me reservar o direito de ter saudade de alguém que não conheço)... mas como nos disse o bom português:
"há coisas que nunca se poderão explicar por palavras".

Me fizeste cego e lúcido, me enganaste e disseste a verdade que eu sentia sem entender bem, me contou debaixo d'árvore sobre a bagagem do viajante que enfim carregas. E me disseste:

_"Sempre chega a hora em que descobrimos que sabíamos muito mais do que antes julgávamos."

Chegaste a tua...enfim,

Sara_Mago!

Quero ver-te sorrindo, como quem caçoa da gente com este olhar tão meigo!

23 comentários:

  1. Bela homenagem...belo texto, com ou sem rascunho, sintetizou toda a perda desse português de tantos ensaios...enquanto isso, continuamos o ensaio da vida...
    Abçs e um bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  2. Juliano,

    A dor cresce no coração pela morte do Saramago. Deixou já muita saudade. E a saudade vai continuar sua caminhada pelos seus escritos. Saramago, poeta e profeta, me identificava muito com ele tanto em perspectiva poética, quando em perspectiva lutadora.

    ResponderExcluir
  3. Não sabia! Noticiado em primeira mão, por Juliano!

    Enquanto vivo, cumpriu seu papel de escritor e poeta.

    Quantos partem sem precisar...e eu vigiando minha hora que nunca chega!

    Obrigada pela notícia. Fez-se sua poesia!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  4. Uma linda e, dá pra sentir, verdadeira homenagem. Mais do que escritor, ele era mesmo um mago em seu ofício literário. As palavras ficam um pouco órfãs sem o carinho que Saramago tinha com elas e nós, sem a esperança de lermos mais de sua genialidade, agora teremos mais sombras do que luzes em nosso caminho.
    Minhas homenagens a Saramago...
    Bom fds, querido.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. querido,fiquei sabendo da morte do Saramago por vc,que soube me noticiar de uma forma muito bela....através de uma bela homenagem...

    meu peito pesou aqui...e não! não é tolice nenhuma ou mesmo egoísmo,chorar por alguém que não conhecemos....


    lógico que conhecemos!

    a obra que fica é algo que,como o próprio disse,n se pode explicar por palavras....

    foi-se o homem....mas a obra está aí,nós,meros mortais nos iremos....mas a obra não meu querido...esta perdurará por mto,mto tempo....

    um beijo!

    e Salve,Salve Saramago!

    ResponderExcluir
  6. É, e logo hoje que a saudade me bate à porta e adentra por uma pequena abertura da janela. Talvez seja por isso que dizem que, homens fecham portas e Deus abre as janelas. Nessa viagem de volta a um quarto vazio, incenso e preces jaz minha mãe e após três meses jaz meu pai.O dia pareceu ter 27 horas ou quem sabe 48, quem sabe até parece que foi ontem... porque a janela da saudade ainda está aberta e eles sempre estão presentes em minha vida. E hoje, logo hoje, o poeta Saramago é chamado, o dia está completo eu o li quando cursava Letras, gostei e isso é o importante.E o curso da vida continua... !!! saudades de tudo !!!!
    Parabéns Beck pela postagem em seu blog.

    ResponderExcluir
  7. Juliano, hoje ao acordar (Isso 6:30 da manhã), entrei aqui e vi a noticia na internet. Não acreditei, e corri para a comunidade dele.
    Todos desolados, órfãos (Como eu).
    Não comentei nada, me calou fundo demais.
    Linda suas palavras.
    O que me restou pela manhã, foi apenas pegar minhas raridades na estante, O evangelho segundo Jesus Cristo, ensaio sobre a cegueira e ensaio sobre a lucidez . Não tinha a obra toda dele, mas apertei esses livros junto ao peito tão...tão...sei lá.
    Mas o que ainda me deixa feliz, é que Saramago era reconhecido em VIDA, enquanto muitos precisam morrer para serem mostrados seus valores.
    Enfin...o trem que chegou partiu.
    E parece que levou a nossa bagagem junto.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. "Se tens um coração de ferro, bom proveito. O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia."

    salve,saramago!

    ResponderExcluir
  9. "há coisas que nunca se poderão explicar por palavras"


    (2)

    ResponderExcluir
  10. ''Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é so um dia mais.''

    Save,sara,saramago!

    ResponderExcluir
  11. Toda homenagem é pouca. Mas válida.

    http://confrariadostrouxas.blogspot.com/search/label/Sexta-Feira

    ResponderExcluir
  12. O poeta se foi...
    Mas nunca será esquecido, se imortalizou em suas obras...
    Bjos achocolatados

    ResponderExcluir
  13. Não morre quem é inesquecível.
    Abração

    ResponderExcluir
  14. ...sei lá quem esta vivo de verdade, sendo que a verdade é o momento que passou...
    ...assim como Saramago.

    ns

    ResponderExcluir
  15. Eterno Saramago... O que é a morte perto da eternidade que ele escreveu?

    Obrigada pelos comentários! Gosto muito!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  16. [...]
    Falta ver, se é que falta, o que serei:
    Um rosto recomposto antes do fim,
    Um canto de batráquio, mesmo rouco,
    Uma vida que corra assim-assim.

    José Saramago, in "Os Poemas Possíveis"

    ResponderExcluir
  17. ...sem conhecer...sem dialogar...sem apertos de
    mãos!...apenas escritos...palavras que nos
    encantaram e nos fizeram respeitá-lo.
    e...amamos...quem admiramos!..seu silêncio
    é oportuno!...valeu!
    abr
    taniamariza

    ResponderExcluir
  18. Me acerco al sentimiento; Saramago será la verticalidad de la literatura, nosotros la conduciremos...
    Un fortísimo abrazo.

    ResponderExcluir
  19. Este ficará na história...
    Ficará nos corações de muita gente, pois fez parte da vida delas.
    Grande escritos, mas um incompreendido em sua própria nação!
    Foi julgado mal pelo facto de ter exposto suas ideias extravagantes, porém, verdadeiras...

    Grande Saramago!

    ResponderExcluir

"Respeitar o trabalho do outro consiste justamente em submetê-lo à crítica mais rigorosa" (José Borges Neto)