segunda-feira, 19 de julho de 2010

Eu sou a Loucura


"Eu sou a Loucura mãe da Revolução, quando nasci não interessa, pois não é para isso que vim. Conheço e condeno todas as forças que lutam contra mim. Sou o elo que liga os homens aos outros deuses. Sou a incentivadora de todos os ideais. Sou o retrato da coragem! Ao contrário da Razão-Equilibrio que é uma senhora derrubada e medrosa. Sou poderosa e estou em tudo e em todos. Sei fascinar sem precisar usar esta casca que me reveste. Sou pura, boa e completa. Sou dona da liberdade, sou sua amante... Não sou a favor do termo esquizofrenia usado para taxar alguns dos meus queridos filhos pois não vejo democracia no uso de tal!...Quando me sinto ofendida, uso minha máquina de ilusões para criar a guerra e também o pesadelo. Acusam-me de ser egocêntrica, e sou! O mundo deve caber na minha mão e não o contrário!... Essa é uma das lições sagradas que passo aos meus queridos filhos e neófitos. Não sou atriz, não sou a favor da mentira. Minha vida extrema é uma realidade!... Sou a ascensão do juízo e não sua falta!... Sou a inspiração do poeta e do artista. Sou bandida e mocinha, sou o quê quero ser!... Sou a voz da surrealidade pintada por Dalí. Sou a única que possui o direito de se contradizer. Sou a modelo que veste o manto de apresentação de Artur Bispo do Rosário... Sou a produtora de todos os filmes rodados e não rodados. Sou aquela que atormenta Hamlet. Sou o espírito livre adorado por Nietzsche, por tanto, não pensem e nem tentem me prender! São tolos aqueles que pensam que podem me controlar, drogam a matéria que me guarda com Diasepam e Gardenal, seus efeitos não duram muito, e logo acordo o corpo que agora está numa ressaca dos diabos! Nós, prontos para dar a cara à tapa outra vez e zombar daqueles que nos querem tanto mal. Eu fui à companheira fiel do Raul, Hendrix, Curt e Janis. Eu fui e ainda sou uma popstar!... Sou uma deusa e o meu lar é todo o universo... Ganhei liberdade para falar graças ao meu filho Erasmo, que dedicou muito da sua energia para lubrificar minhas cordas vocais, afim de quê o meu canto narcisista prossiga. A minha vitalidade; meus sentimentos honestos; meus instintos; a minha simplicidade – (ao meu modo e conceito), são expressões que deveriam ser adoradas como símbolos sagrados!... Adoram a Cristo, um dos meus neófitos mais fiéis, porque não me adoram também? Devem acima de tudo e de todos me adorarem!... Nobre filho Conrado, invista mais na projeção de sua voz pois a nossa verdade necessita da sua energia para ganhar, os horizontes da consciência deste povo que sempre busca nos ignorar, mesmo sabendo que dentro deles corre o nosso DNA."


*Nota do interloucutor: Poucas vezes abro aspas aqui, mas seria pouca loucura deixar de compartilhar com vocês este texto insano e brilhante do meu amigo, poeta, artista plástico e maluco Carlos Conrado em seu livro "O Aeronauta Entre a Razão e a Loucura." Para conhecer mais do trabalho deste artista clique no nome.

17 comentários:

  1. Que bom, Juliano, abrir suas aspas e nos presentear com esse texto tão denso, entre a razão e a loucura...'poque qdo se é branco como o fênix branco e os outros são pretos,os inimigos não faltam.' (Arntoin Artaud).
    Que bom que voltastes!

    ResponderExcluir
  2. Eu não estava rindo de vc, não, viu. Longe disso, um beijão. :-)

    ResponderExcluir
  3. Há alguns anos li Erasmo de Roterdã... Desde então não vejo a loucua com os mesmos olhos... ou melhor, não a vejo...

    Que bom que voltou...

    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. aspas bem abertas!!

    confesso que esse texto me deu uma estranha sensação,que n sei descrever....

    vou ler um pouco mais do trabalho dele pra ver se consigo explicar...

    ps: bom ver vc postando,gosto muito de ler vc....este já se tornou um blog obrigatório para mim!

    beijoca ;)

    ResponderExcluir
  5. E que loucura fantásticaaaaaaaaaaaa.
    Mas, loucura? Afinal, o que seria?

    Me considero uma rs.

    Abraçãoooo Juliano.

    Tava fazendo falta!!

    ResponderExcluir
  6. Acho tão bom ter acordado a tempo... Como deixei a vida passar, trancado no quarto, mastigando loucuras.( Caio Fernando Abreu )

    Nada muito a ver, mas me lembrei do Caio!!

    *))

    ResponderExcluir
  7. Esse cara ou é maluco de verdade,ou conhece a loucura com todos os seus papéis e máscaras bem de perto.Digamos que esse texto é assim...muito louco.

    ResponderExcluir
  8. Eu agora em novo endereço, te espero lá.

    beejo

    ResponderExcluir
  9. Dar forma humana a um aspecto da personalidade e ainda fazer-lhe falar é ato do mais exímio criador. Gostaria de ter a Loucura em nosso meio um dia, de vestido vermelho, dançando e bebendo. É assim que a imagino.
    Como sempre excelente,

    Abraço!

    Leandro Souza

    ResponderExcluir
  10. Guri,

    Lembrei de algumas palavras do Frei Betto percorrendo esse escrito.

    "Torna-me louco, irremediavelmente louco,
    como os poetas sem palavras para seus poemas".

    Guri, deixo aqui também minhas lembranças. Tempo fora da minha terra natal ficarei. Vou sair um pouco deste frio para ir pro cerrado.

    Beijos,

    ResponderExcluir
  11. ola,desculpe a invasão...mas não me perdoaria se saise do teu blogg sem ao menos deixar registrado um certo comentariozinho...alem é claro de te dizer q o texto é simplismente fantastico,morri de rir aq...más...no texto esqueceram ou ainda não conheciam o tão famoso sosega leão dos"loucos"...rs...."CARBAMAZEPINA"...rs
    td de bom a vc,fika com DEUS

    ResponderExcluir
  12. O texto é denso e delicioso
    Parabens a seu amigo
    Abro aspas para dizer que sou fá incondicional de Erasmo de Rotherdan.
    E vamos elogiar a loucura, sempre!

    ResponderExcluir
  13. ...traigo
    sangre
    de
    la
    tarde
    herida
    en
    la
    mano
    y
    una
    vela
    de
    mi
    corazón
    para
    invitarte
    y
    darte
    este
    alma
    que
    viene
    para
    compartir
    contigo
    tu
    bello
    blog
    con
    un
    ramillete
    de
    oro
    y
    claveles
    dentro...


    desde mis
    HORAS ROTAS
    Y AULA DE PAZ


    TE SIGO TU BLOG




    CON saludos de la luna al
    reflejarse en el mar de la
    poesía...


    AFECTUOSAMENTE
    JULIANO BECK

    ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DEL FANTASMA DE LA OPERA, BLADE RUUNER Y CHOCOLATE.

    José
    Ramón...

    ResponderExcluir
  14. muito bom,afinal todos somos loucos,cada um tem sua forma de ver e sentir a loucura.
    falow!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  15. sempre que adentro em seu espaço saio revigorado...

    abraço

    ResponderExcluir
  16. Deixo-te beijos e tulipas...
    Belissimo texto.
    Li e reli...me aprisionei as tuas palavra
    Ser feliz é só o que nos basta, mesmo na loucura...

    ResponderExcluir

"Respeitar o trabalho do outro consiste justamente em submetê-lo à crítica mais rigorosa" (José Borges Neto)